#ArenaNETmundial encerra com mais de 2 milhões de acessos na transmissão online


A #ArenaNETmundial, que aconteceu em São Paulo nos dias 22, 23 e 24 de abril, atraiu um público diverso e disposto ao debate sobre a sociedade em rede e a Internet livre. A primeira edição do evento levou centenas de ativistas, pensadores, pesquisadores e gestores públicos ao Centro Cultural São Paulo para participar dos debates, shows musicais, oficinas e outras atividades e mobilizou internautas do mundo todo. Quem não pôde comparecer, acompanhou tudo pela internet: foram 30 horas de transmissão ao vivo, contabilizando mais de 2,3 milhões de acessos ao site oficial e outros sites que retransmitiram e fizeram a cobertura do evento.
 
A #ArenaNETmundial foi realizada em paralelo ao NETmundial, encontro que reuniu delegações de 200 países para debater a proposta de um roteiro para a evolução do ecossistema de governança da Internet.
 
Grandes pensadores, ativistas, gestores públicos e comunicadores de diversos países, como Tim Berners-Lee (criador do www - world wide web), Manuel Castells (autor do livro "Redes de Indignação e Esperança" que analisa os movimentos sociais), Gilberto Gil (músico, ex-Ministro da Cultura e um dos pioneiros no debate sobre democracia 2.0), Nnenna Nwakanma (ativista africana, organizadora comunitária e consultora para desenvolvimento), Frank La Rue (relator especial da ONU para o direito à liberdade de expressão e opinião e advogado de direitos humanos), Gilberto Carvalho (Ministro-Chefe da Secretaria Geral da Presidência da República), Laura Citlali Murillo (membro do #soy132 do México), Javier Toret (integrante do movimento 15M na Espanha e investigador da Universitat Oberta de Catalunya), Demi Getschko (considerado um dos "pais" da internet no Brasil) e Roy Singham (fundador e presidente da ThoughWorks), participaram de oito diálogos que discutiram os rumos da Internet no mundo, direitos humanos, conhecimento livre e democracia 2.0.
 
A participação via web de Julian Assange - membro fundador do Wikileaks, condenado por espionagem e refugiado na Embaixada do Equador em Londres - no debate sobre Soberania Digital e Vigilância na era da Internet, surpreendeu o público e foi um dos pontos altos do evento.
 
A aprovação do Marco Civil pelo Senado Federal na noite de 22 de abril coincidiu com a abertura oficial da #ArenaNETmundial, justamente com um debate sobre o Marco Civil da Internet e Mobilização. O público e os convidados da mesa - Paulo Rená (jurista, ciberativista e fundador do Partido Pirata do Brasil), José Eduardo Cardozo (Ministro da Justiça Brasileiro), Marcos Mazoni (diretor-presidente do Serpro), Beá Tibiriçá (diretora do Coletivo Digital), Bia Barbosa (jornalista e integrante do Coletivo Intervozes) e Ronaldo Lemos (advogado e único latino-americano na coordenação do Creative Commons) - vibraram e se emocionaram com as imagens ao vivo e a participação do deputado Alessandro Molon (relator na Câmara Federal do Marco Civil da Internet) diretamente do Senado Federal, no momento em que acabou a votação.
 
Esse encontro de ideias, experiências e grandes nomes do ativismo digital fizeram da #ArenaNETmundial um marco na história dos 25 anos da Internet. 
 
A programação do evento foi gratuita e aberta ao público em geral que, além dos debates, teve a oportunidade de conferir e participar de cinco shows musicais, 20 oficinas para uso de tecnologias livres, 23 atividades autogestionadas e um Hub linkado diretamente com a Conferência NETmundial. Mais de 70 comunicadores de diversos veículos, coletivos de comunicação e organizações participaram da cobertura colaborativa.
 
O evento foi realizado pela Secretaria-Geral da Presidência da República em parceria com a Prefeitura de São Paulo e o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), com apoio da Fundação Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal, do Serviço Federal de Processamento de Dados - Serpro e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) da ONU.
 
Consulta pública
 
No dia 23 de abril, representantes da sociedade civil entregaram à Presidenta Dilma Rousseff e ao Comitê Executivo do NETmundial um documento com os resultados da consulta pública sobre a Internet. A Consulta Pública, realizada na plataforma Participa.br entre os dias 20 de março e 17 de abril, teve um processo integralmente colaborativo: tanto as propostas quanto a decisão sobre quais eram as ideias mais prioritárias foram feitas pelos próprios internautas brasileiros. A Consulta Pública teve mais de 281 mil votos, recebendo quase trezentas propostas e aglutinando um total de 41 diretrizes para a elaboração de um novo modelo de governança global da internet, tudo definido de forma integralmente participativa. A consulta foi a maior já realizada por meio da metodologia Wiki-Survey, desenvolvida pela Universidade de Princeton, com o intuito de trabalhar da melhor maneira a cultura da Internet. Seu sistema aberto já foi utilizado em mais de 3,5 mil consultas em todo o mundo.
 
Encerrada a fase de proposição e votação de ideias sobre a "Internet que queremos", foram priorizadas propostas formuladas por participantes de todas as regiões do país. Os autores das propostas e demais cidadãos interessados compuseram dois grupos de discussão, cujo objetivo era formular propostas sobre os princípios para a governança da Internet e sobre um roteiro para a implementação desses princípios em âmbito mundial. Os participantes falaram diretamente aos participantes da conferência, entrando com voz e vídeo pelo HUB Brasil, espaço montado na #ArenaNETmundial.
 
Hub Brasil
 
O Hub Brasil foi um dos 33 hubs de participação remota no mundo, que interagiram, em tempo real, com o #NETmundial em São Paulo, contemplando a valorização das propostas recebidas na Consulta Pública do Participa.br. Os autores das propostas mais bem colocadas foram convidados pela Secretaria-Geral da Presidência a se fazer presentes no espaço Hub da #ArenaNETmundial.
 
O HUB brasileiro foi o mais animado, contando com o maior número de presentes, e teve participações e intervenções nos dois dias em que o encontro aconteceu. O resultado dos debates no HUB foram sistematizados e publicados na plataforma do Participa.br e entregues aos organizadores e participantes do IV Fórum da Internet no Brasil, que aconteceu logo após o NETmundial, nos dias 25 e 26 de Abril em São Paulo, SP.
 
Atividades culturais
 
A #ArenaNETmundial abriu espaço não apenas para a discussão dos caminhos do mundo em rede, mas também para quem provoca nossa mente e estimula a criação do novo a partir de sua arte. Para unir a cultura popular com a cultura digital, grandes artistas que são ativistas do conhecimento livre fizeram apresentações musicais no evento. A conexão que já existe entre os artistas e a Cultura Digital foi elemento chave na definição da programação. Tom Zé, Lurdez da Luz, Fernando Anitelli, Emicida e Jorge Mautner - profundamente ligados à experimentação da arte e seus processos de criação, produção e distribuição - trouxeram sua diversidade sonora e criativa, amplificando a troca de ideias e vivências que é a base de uma sociedade cada vez mais interconectada.
 
Fonte: Adriana Martorano / ParticipaBR